27 de janeiro de 2017

A Victória fod@.-##-se à UE Nuland deixa o cargo...

Victoria 'F * ck a UE' Nuland deixa seu posto no Departamento de Estado dos EUA


    27 de janeiro de 2017


    A secretária de Estado Adjunta dos EUA para Assuntos Europeus e Eurasiáticos, Victoria Nuland, renunciou ao cargo. Em declarações à rádio Sputnik, o cientista político russo Alexander Konkov disse que sua partida é altamente simbólica e pode presagiar mudanças importantes na atitude do Departamento de Estado Trump em relação às operações de mudança de regime patrocinadas pelos EUA.
    Nuland teve seu último dia no Departamento de Estado na quarta-feira; Seu nome era apenas um entre uma longa lista de diplomatas seniores da era Obama que renunciaram a seus cargos nesta semana, muitos deles "expressando preocupações" sobre servir no Departamento de Estado da administração Trump, de acordo com o New York Times.
    Na Rússia e na Europa de Leste, Nuland será lembrada por seu papel na crise política que abalou a Ucrânia no final de 2013 e culminou com o golpe de Estado Euromaidiano apoiado pelos EUA e pela UE em fevereiro de 2014.
    Foi em uma conversa telefônica vazada com o embaixador dos EUA na Geórgia Geoffrey Pyatt a partir de 4 de fevereiro de 2014, onde Nuland fez talvez a mais memorável observação de sua carreira diplomática, dizendo "Foda-se à  UE", referindo-se a hesitação de Bruxelas para derrubar os eleitos Governo em Kiev definitiva.
    Mas mesmo que as três pequenas palavras fossem o que mais se lembrava da conversa vazia, o contexto mais importante que desde então foi esquecido foi a discussão muito casual de Nuland e Pyatt sobre quem eles queriam tomar as rédeas no novo governo em Kiev (note que A conversa aconteceu várias semanas antes da expulsão do presidente Viktor Yanukovych em 22 de fevereiro de 2014).
    Nuland e Pyatt escolheram o ex-boxeador Vitaly Klitschko, que se tornaria prefeito de Kiev, e Arseniy Yatsenyuk, que se referia carinhosamente a "Yats", que logo se tornou primeiro-ministro. "Yats é o cara ..." Nuland brincou.

    Os dois oficiais dos EUA também falaram sobre os benefícios de ter Yatsenyuk e aliado de Klitschko com Oleh Tyahnybok, o líder ultranacionalista do Partido Svoboda abertamente associado com grupos ucranianos neonazistas. Grupos de extrema-direita desempenharam um papel-chave no sucesso do golpe de Maidan, deturpando-o com a polícia anti-motim e assumindo os principais edifícios governamentais após a queda do presidente Yanukovych.
    Em todo o mundo, mas especialmente na Rússia e no antigo espaço soviético, Nuland se tornou uma figura icônica, famosa pelas imagens de sua passagem para fora de cookies em Kiev durante o protesto Maidan. As fotos rapidamente se tornaram uma sensação online, e são usadas regularmente por aqueles com medo das operações de mudança de regime dos neoconservadores em todo o mundo.

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário