25 de janeiro de 2017

Intenção de ataque à Síria pelos EUA é bem antiga

Inteligência revela que os EUA pediram a  Saddam Hussein que atacasse à Síria


    25 de janeiro de 2017


    Apesar do que mesmo alguns comentaristas de mídia alternativa poderiam argumentar, a guerra da Síria é sobre petróleo, gás e dinheiro.
    Um relatório secreto de inteligência de 1983 confirmou que o desgosto da América pela família Assad na Síria sempre girou em torno de disputas de gás e petro - e isso só tem dado a causa dos EUA para ir para a guerra com a Síria.
    De forma mais perturbadora, o relatório revelou que os Estados Unidos pediram que Saddam Hussein atacasse Hafez al-Assad na Síria por causa do fechamento do oleoduto do Iraque.
    O relatório do ex-oficial da CIA, Graham Fuller, pediu aos EUA que considerem "pedir ao Iraque que leve a guerra à Síria", observando que Saddam estava "lutando por sua vida" na campanha Irã-Iraque. O fechamento do oleoduto do Iraque foi visto como tendo um "obstáculo" aos interesses dos EUA na região.
    Fuller disse que os EUA deveriam considerar "agudamente aumentar as pressões contra Assad" de três estados fronteiriços hostis à Síria - Iraque, Israel e Turquia. O relatório afirmava que, diante dessas "três frentes beligerantes", Assad provavelmente seria forçado a abandonar o fechamento do oleoduto.
    Soa familiar?
    Alega-se que, em 2009, o Qatar apresentou uma proposta de gasoduto que atravessaria a Síria e a Turquia e seria usada para exportar gás da Arábia Saudita e do Catar. O regime sírio recusou esta proposta e, em vez disso, forjou um acordo com o Irã eo Iraque para dirigir um gasoduto para a Europa, cortando completamente os Estados do Golfo. Desde então, esses atores regionais foram os mais veementes adversários do regime de Assad porque consideram a expansão do bloco liderado pelos xiitas do Irã, Iraque, Líbano e Síria como uma grande ameaça econômica.
    Qualquer um que alega que a administração Obama e seus aliados, incluindo a Arábia Saudita, foram motivados por preocupações de direitos humanos na Síria é mal informado ou mentir. Especulou-se que Israel tem procurado explorar a guerra da Síria batendo em fontes de petróleo na área das Colinas de Golã, que a empresa petrolífera Afek afirma ser parte do "Estado de Israel".
    Na época em que a inteligência americana produziu o relatório secreto sobre Hafez al-Assad, os EUA não estavam apenas armando e apoiando a guerra de agressão de Saddam Hussein contra o Irã vizinho (cheio de armas químicas), mas também foram flagrados armando a Iranianos, a fim de maximizar o número de mortos.
    De acordo com o relatório secreto, os EUA estavam procurando expandir o número de mortes no Iraque e Síria também, tudo por causa de um fechamento de pipeline.
    Parece que os mesmos interesses econômicos permanecem no cerne das relações da América com outras nações. Talvez aliados dos EUA no Oriente Médio deveriam tomar nota desta política externa bipolar e tomar cuidado com o que aconteceu com Saddam Hussein, que passou de receber apoio inabalável dos EUA para ser inimigo público número um. Isto é especialmente verdadeiro com o Presidente Trump, que parece ter desfeito a abordagem da guerra fria de Obama à Rússia e, até agora, tentou criar um diálogo produtivo com Vladimir Putin. Trump também parece diferir com os Estados do Golfo sobre a abordagem correta para a guerra síria.
    Vai ser um imprevisível próximos anos. Dito isto, Trump já parece pronto para continuar as políticas mais perigosas de Obama.

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário