4 de julho de 2017

Ex-Min. Def. ucraniano pede ações contra a Rússia

O ex-ministro ucraniano da Defesa pede ataques terroristas na Rússia

    4 de julho de 2017


    O ex-ministro da Defesa da Ucrânia, Anatoly Gritsenko, pediu a Kiev que eleve seus próprios ataques terroristas na Rússia em resposta a atentados  contra os agentes da segurança ucraniana que ele não responsabilizou em Moscou.
    O ex-ministro acusou Moscou de planejar o ataque ao Coronel Maksim Shapoval, da Direção de Inteligência do Ministério da Defesa da Ucrânia, que foi morto em uma explosão de carro bomba na semana passada.
    Gritsenko disse que o que está acontecendo entre a Ucrânia e a Rússia é a "guerra", enquanto apareceu na emissora, 121 Ukraina.
    "Este não é o primeiro assassinato demonstrativo e descarado de oficiais ucranianos, nossos melhores oficiais", disse ele, referindo-se a um carro bomba de março em Mariupol, no qual o oficial de contra-inteligência, Aleksandr Kharaberyush, foi morto.
    "Se isso é realmente uma guerra, e não é apenas um jogo para o presidente [da Ucrânia Petro Poroshenko], isso significa que para todos os carros que explodem Kiev ou Mariupol, dois carros devem explodir na [cidade russa de] Taganrog ou Moscou ", disse Gritsenko, que era ministro da Defesa da Ucrânia entre 2005-2007.
    As investigações sobre ambas as explosões ainda estão em curso na Ucrânia, sem suspeitos e sem prisões até agora.
    Kiev realizou uma operação militar no sudeste do país desde a primavera de 2014. A campanha militar começou depois que as populações das Regiões de Donetsk e Lugansk se recusaram a reconhecer o novo governo impostas na capital.
    Em junho, a ONU disse que o número de mortos do conflito ultrapassou 10 mil pessoas com cerca de 24 mil feridos.
    Kiev e seus patrocinadores ocidentais acusam  repetidamente a Rússia de apoiar os rebeldes no leste da Ucrânia, apesar de Moscou negar qualquer envolvimento ao mesmo tempo em que citou a falta de provas substanciais.
    Nos últimos meses, vários comandantes e oficiais militares proeminentes nas repúblicas autoproclamadas de Donetsk e Lugansk foram mortos em explosões, que autoridades acusam o Serviço de Segurança da Ucrânia (SBU).

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário