13 de junho de 2018

EUA nas proximidades da Síria

Grupo de ataque aéreo USS Truman no lugar oposto à Síria


Em posição ao largo da costa da Síria está o porta-aviões USS Harry S. Truman, movido a energia nuclear - do qual os EUA, o Reino Unido e a França lançaram seu ataque de 14 de abril contra o exército sírio por lançar um ataque químico. O grupo de ataque da Marinha dos EUA entrou no Mediterrâneo Oriental no último final de semana. O comandante da força-tarefa dos EUA, contra-almirante, Eugene Black, anunciou que sua chegada “envia um poderoso sinal aos nossos parceiros de que estamos comprometidos em manter a paz e a segurança na região e em todos os lugares onde há ameaça de terrorismo”.
Fontes militares do DEBKAfile relatam que o grupo de ataque está enviando um sinal ainda mais poderoso para os adversários dos EUA: A administração Trump parece extremamente desfavorável com a crescente cooperação entre as forças militares russas, iranianas, sírias e do Hezbollah e sua intenção agressiva, especialmente com relação ao Posto avançado dos EUA em Al Tanf, que controla o ponto de interseção entre as fronteiras síria, iraquiana e jordaniana. Em geral, os EUA se opõem a qualquer ação militar contra as forças de oposição sírias que apóia, seja no norte, leste ou sul, ou ao longo das fronteiras da Síria com o Iraque, a Jordânia e Israel.
A próxima edição da DEBKA Weekly na sexta-feira, 15 de junho, oferece detalhes exclusivos sobre os movimentos militares em andamento na Síria e examina suas ramificações à luz de um comentário que o presidente Donald Trump fez em 12 de junho em Cingapura, depois de seu épico sit-down Kim Jong-un, da Coréia do Norte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário