11 de junho de 2018

Turquia ameaça Áustria com guerra religiosa

    Erdogan ameaça a Áustria com uma guerra religiosa completa contra as políticas anti-jihad da Áustria

11 de junho de 2018

Na sexta-feira passada, o governo austríaco anunciou que poderia expulsar até 60 imãs turcos e suas famílias, bem como fechar sete mesquitas, em uma repressão ao que o governo chamou de "islamismo político".

Sebastian Kurz, o chanceler da Áustria, disse que o país não tolerará mais a existência de "sociedades paralelas, islamismo político e radicalização".

Em um discurso proferido em Istambul, em 9 de junho, o líder da Turquia, Erdogan, respondeu aos planos políticos da Áustria, criticando as fortes ações anti-islamistas e ameaçando desencadear uma guerra religiosa entre o Islã e o cristianismo.

“Eles disseram que vão expulsar nossos irmãos da fé islâmica da Áustria (...) e você acha que não faremos nada em resposta? Quero dizer, teremos que agir.

O discurso de Erdogan surge no período que antecede as eleições presidenciais e legislativas de 24 de junho e foi provavelmente exagerado com o desejo de reunir e energizar os seus apoiantes, mas as suas palavras não devem ser tomadas de ânimo leve.

Já em 16 de março de 2017, o ministro das Relações Exteriores turco, Mevlüt Çavuşoğlu, previu em uma manifestação pró-Erdogan na cidade de Antalya e  que “uma guerra religiosa acontecerá  em breve na Europa”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário