13 de abril de 2017

Assad diz que ataque químico foi fabricado pelos EUA

Assad: Ataque com armas químicas fabricadas pelos EUA, vídeos podem ter sido  encenados


"[O Ocidente] inventou toda a história para ter um pretexto para o ataque"



Adan Salazar
Prison Planet.com
13 de abril de 2017


O ataque sírio às armas químicas na terça-feira passado culpado ao regime de Assad foi "100 por cento" uma "fabricação", disse o líder sírio Bashar Al Assad em entrevista à AFP.
O embaraçado presidente sírio argumentou que nunca ordenou o ataque à província de Idlib, que deixou cerca de 80 mortos, e disse que as forças apoiadas pelo Ocidente estavam beneficiando os terroristas da ISIS na região.
"Definitivamente, 100 por cento para nós, é fabricação", disse Assad.

"Nossa impressão é que o Ocidente, principalmente os Estados Unidos, está de mãos dadas com os terroristas. Eles fabricaram toda essa história, a fim de ter um pretexto para um  ataque ", disse Assad.
"Os EUA e o Ocidente, eles não são sérios sobre lutar contra os terroristas. E ontem alguns de seus estadistas estavam defendendo o ISIS. Eles disseram que o ISIS não tem armas químicas. Eles estão defendendo o ISIS contra o governo sírio e o exército sírio ".
Assad também afirmou que seu país havia desistido de seu arsenal químico anos atrás, e questionou se o ataque chegou a acontecer, dizendo que esses vídeos foram encenados no passado.
"Você tem um monte de vídeos falsos agora", disse o presidente sírio. "Não sabemos se essas crianças mortas foram mortas mesmo em Khan Sheikhun. Eles estavam mortos?
"Não havia ordem para fazer qualquer ataque, não temos armas químicas, desistimos do nosso arsenal há alguns anos".
A Síria negou seu uso de armas químicas e alegou que as mortes na semana passada podem ter resultado de uma greve no depósito de armas de um rebelde que continha "substâncias tóxicas".
Os comentários de Assad chegam quase uma semana depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, ordenou uma greve na base da Força Aérea de Sharyat, que Assad diz ter infligido poucos danos.
"Nosso poder de fogo, nossa capacidade de atacar os terroristas não foi afetado por esta ação ", disse ele, chamando o ataque de "muito bárbaro".
As declarações ecoam as declarações do presidente russo Vladimir Putin, que indicou no início desta semana que ele também acreditava que o ataque era uma provocação de "falsa bandeira".
"Temos relatórios de várias fontes de que bandeiras falsas como esta - e não posso chamá-la de outra forma - estão sendo preparadas em outras partes da Síria, incluindo os subúrbios do sul de Damasco", disse Putin durante uma conferência de imprensa conjunta.
Muitos nos Estados Unidos, incluindo o ex-congressista Ron Paul, também questionaram por que Assad teria lançado um ataque contra seu próprio povo, que parecia ter pouco ou nenhum benefício político.
"Não faz sentido para o Assad nessas condições usar de repente gases venenosos - acho que não há nenhuma chance de ele ter feito isso deliberadamente", disse Paul na semana passada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário