5 de abril de 2017

China adverte os EUA

China promete defender-se "a todo custo" se os EUA atacam a Coréia do Norte



Pequim adverte Trump para não tomar medidas drásticas

Paul Joseph Watson

5 Abril , 2017
null
A China prometeu defender seu território "a todo custo" se os Estados Unidos lançarem uma ação militar contra a Coréia do Norte.
Um editorial do Global Times, que é amplamente considerado como a voz do governo chinês, adverte o governo Trump que a Coréia do Norte "não confia em nada além de armas nucleares" e que o regime em Pyongyang é "improvável que se rende".
"A China tem uma linha de fundo. Ele salvaguardará a segurança ea estabilidade de sua região Nordeste a todo custo ", afirma o editorial.
As tensões aumentaram drasticamente nos últimos dias, com um alto funcionário da Casa Branca advertindo que "o relógio acabou" no programa nuclear da Coréia do Norte e que "todas as opções estão na mesa".
Trump também disse recentemente ao Financial Times, "Bem, se a China não vai resolver a Coréia do Norte, vamos. Isso é tudo que eu estou dizendo. "
O general de quatro estrelas Jack Keane também afirmou que bombardear as instalações nucleares da Coréia do Norte "pode ​​ser a única opção restante".
A Coréia do Norte disparou outro míssil nesta manhã, que desembarcou no Mar do Japão, um dos vários que foram testados nos últimos meses.
Como explica Michael Snyder, qualquer ataque à Coréia do Norte pode desencadear uma onda de medidas drásticas e até mesmo um confronto militar direto entre os EUA e a China.
"Depois da barragem norte-coreana inicial, a quarta maior força militar em todo o planeta começaria a transbordar a fronteira em uma invasão maciça da Coréia do Sul. Os militares dos EUA seriam forçados a responder com forças terrestres em grande escala se a Coréia do Sul tivesse alguma chance de sobreviver e, assim como na primeira Guerra da Coréia, os chineses podem decidir responder a essa ação com o envio de suas próprias tropas à guerra Lado da Coréia do Norte. "
O presidente trunfo se reunirá com o presidente chinês Xi Jinping em sua estância de Mar-a-Lago, na Flórida, na quinta e sexta-feira para discutir a crescente crise.


*********************

Nenhum comentário:

Postar um comentário