23 de março de 2017

Ex- parlamentar russo é morto na Ucrânia

Ex-legislador russo morto em plena luz do dia na capital da Ucrânia

    23 de março de 2017


    Um ex-deputado russo procurado por Moscou por fraude foi morto a tiros em plena luz do dia no coração da capital ucraniana na quinta-feira, no que Kiev classificou como "terrorismo de Estado".
    "Houve uma troca de fogo em frente à entrada do Premier-Palace Hotel cerca de 40 minutos atrás. Um homem foi morto e outras duas pessoas ficaram feridas. A identidade do homem morto foi estabelecida. Ele é um político russo, um ex-membro da Duma. Sim, posso confirmar que ele é Denis Voronenkov ", disse o chefe da polícia de Kiev, Andrey Krishchenko, conforme citado pela TASS.
    O ex-legislador foi baleado duas vezes na cabeça quando estava na esquina do Boulevard Taras Shevchenko e da Rua Pushkinska, perto da entrada principal do Premier Palace Hotel de Kiev.
    Segundo a AFP, o chefe de polícia de Kiev, Andriy Kryshchenko, confirmou em comentários televisionados que "a identidade do morto foi estabelecida" como o ex-legislador comunista Denis Voronenkov.
    Denis Voronenkov foi baleado em uma rua movimentada em Kiev
    Krishchenko disse que o assaltante feriu o guarda-costas de Voronenkov, que disparou contra ele em troca. "[O suspeito] está sob proteção policial, ele está recebendo assistência médica prioritária em um hospital", disse Krishchenko a repórteres.
    Voronenkov, ex-membro do Partido Comunista Russo, emigrou da Rússia para a Ucrânia em outubro de 2016. Recebeu a cidadania ucraniana em dezembro, tendo renunciado ao status de cidadão russo. Ele era extremamente crítico com as autoridades russas.
    Como RT acrescenta, Voronenkov tinha sido em uma lista de desejos federais na Rússia desde 15 de fevereiro, bem como em uma lista de desejos internacionais desde 27 de fevereiro, encarregado de planejar uma fraude de grande escala. A alegada corrupção do parlamentar fugitivo também apareceu em uma investigação da figura da oposição russa Aleksey Navalny, que teria descoberto que Voronenkov tinha muito mais ativos do que sua renda anual oficialmente declarada de 2,4 milhões de rublos (cerca de US $ 41.700).
    Russian MP killed in Kiev
    Ele foi morto a tiros em plena luz do dia em uma rua movimentada de Kiev
    A polícia estava avaliando a possibilidade de Voronenkov ter sido alvo de um contrato matando "considerando a identidade da vítima, suas atividades e como o crime foi realizado", disse Kryshchenko.

    Russian MP killed in Ukraine
    O ex-deputado russo foi morto e seu guarda-costas ferido
    O presidente ucraniano, Petro Poroshenko, acusou a Rússia do que ele disse ser um "assassinato astuto", dizendo que o assassinato de Voronenkov foi um "ato de terrorismo de Estado", escreveu seu porta-voz Svyatoslav Tsegolko no Facebook.
    O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, rejeitou rapidamente as acusações de Kiev como "absurdas" em comentários às agências de notícias russas.Denis Voronenkov killed in Kiev
    Putin crítico e ex-legislador Denis Voronenkov foi morto na Ucrânia
    O guarda-costas de Voronenkov eo pistoleiro foram ambos feridos no tiroteio e estavam sendo tratados no hospital, disse Kryshchenko, acrescentando que a identidade do pistoleiro ainda não havia sido estabelecida.

    Russian MP killed in Kiev
    O guardião de segurança de roupas simples do político também foi baleado
    O tiroteio ocorreu em torno de 11:30 da manhã (0930 GMT) no centro da capital ucraniana, a polícia disse.
    Voronenkov e sua esposa Maria Maksakova, também ex-legisladora e cantora de ópera bem conhecida, deixaram a Rússia para a Ucrânia no ano passado. Voronenkov recebeu a cidadania ucraniana em dezembro, depois de testemunhar contra o ex-presidente da Ucrânia, Viktor Yanukovych, que foi deposto em fevereiro de 2014 em meio a protestos pró-ocidentais.
    Voronenkov disse à imprensa ucraniana em fevereiro que ele havia repetidamente recebido ameaças dos serviços de segurança russos. Moscou e Kiev foram travadas em uma disputa amarga desde que Rússia apreendeu Crimea em março 2014, mergulhando laços entre Moscovo e o oeste a seu ponto o mais baixo desde a guerra fria.
    Os policiais ucranianos imediatamente disseram acreditar que a Rússia está por trás do assassinato de Voronenkov. "Considerando a identidade da vítima, como uma das versões prioritárias que consideramos as ações da Federação Russa destinadas a eliminar essa pessoa como uma pessoa que deu um testemunho importante nos processos que teve lugar na Ucrânia", o vice-chefe da Comissão Nacional Polícia da Ucrânia, Aleksandr Vakulenko, disse à imprensa, como citado pela Interfax Ucrânia.
    Menos de uma hora após o assassinato, o presidente ucraniano, Petro Poroshenko, o chamou de "ato de terrorismo financiado pelo Estado russo", segundo seu secretário de imprensa. Poroshenko passou a ligar a morte de Voronenkov ea explosão maciça em um depósito de munição na região de Kharkov, na Ucrânia, que aconteceu na noite de quarta-feira e continuou na quinta-feira.
    "Não é por acaso que o assassinato ocorreu no mesmo dia que a sabotagem em Balakleya na região de Kharkov da Ucrânia", disse Poroshenko, citado pelo seu secretário de imprensa, Svyatoslav Tsegolko, em um post no Facebook.

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário