25 de março de 2017

Irã


Navios iranianos  recebem entrada de porta-aviões dos EUA no Estreito de Ormuz



USS George H.W. BushO USS George H. W. Bush foi recebido por pelo menos 20 navios da Guarda Revolucionária iraniana quando transitou o Estreito de Ormuz para o Golfo Pérsico na terça-feira.

O porta-aviões dos EUA foi escoltado por uma fragata dinamarquesa e um destróier francês, além de uma equipe de helicópteros de ataque navegando em cima.

Funcionários do USS Bush tentaram se comunicar com os navios iranianos que patrulham a área, mas não está claro se foram estabelecidas comunicações confiáveis. No passado, houve incidentes entre navios navais norte-americanos e iranianos.

"Embora esses navios provavelmente não tenham explosivos, seu comportamento pode levar a um erro de cálculo porque não entendemos suas intenções", disse um porta-voz da Marinha dos Estados Unidos.

"Nossa intenção é nunca começar nada, mas se a situação surgir, estamos no nosso direito de nos defender", acrescentou o porta-voz.


Um estudante iraniano que estuda nos Estados Unidos disse recentemente à Sputnik News que Teerã freqüentemente reflete a retórica e a postura adotadas por Washington. Assim, quando os EUA se militarizam e procuram projetar poder contra o Irã, os líderes no Irã têm algum incentivo para fazer o mesmo. As tentativas de demonizar os iranianos na frente do resto do mundo também ajudam a solidificar a narrativa dentro do Irã de que os Estados Unidos são uma força hostil, disse o aluno.

Cerca de 20% do petróleo comercializado do mundo passa pelo Estreito de Hormuz diariamente. Mas, contrariamente à crença popular de que os EUA consomem a maior parte deste petróleo, na verdade, 75% do petróleo que sai do Golfo Pérsico está indo para a China, de acordo com o especialista em geopolítica Ian Bremmer, do Grupo Eurasia.

Não é apenas a opinião de um especialista: Em 28 de novembro, o Wall Street Journal informou que os EUA se tornaram um exportador líquido de gás natural. E a partir de 2015, 76 por cento de todo o consumo de petróleo dos EUA foi fornecido pelos produtores nacionais de petróleo, de acordo com dados da Agência de Informação de Energia.

O presidente dos EUA, Donald Trump, fez pouco para conter as tensões entre Washington e Teerã. No Dia da Inauguração, o site da Casa Branca foi atualizado para mostrar que um sistema de mísseis "state of the art" era necessário para ameaças colocadas pelo Irã. Não muito tempo depois, Michael Flynn, um conhecido iraniano-falcão, disse que os EUA estavam colocando o Irã "em alerta".


Nenhum comentário:

Postar um comentário