7 de junho de 2018

Guerra iemenita

EUA advertem sauditas, forças dos Emirados Árabes Unidos contra ofensiva na estratégica cidade portuária do Iêmen



Nesta foto realizada segunda-feira, 3 de agosto de 2015, os combatentes contra os rebeldes xiitas conhecidos como Houthis se reúnem na estrada que leva à base de Al-Anad, perto de Aden, na província de Lahej, no sul do Iêmen. A captura da base de Al-Anad foi uma vitória significativa para as forças aliadas ao presidente exilado do Iêmen Abed Rabbo Mansour Hadi em sua batalha para reverter os ganhos dos houthis. (AP Photo / Wael Qubady)


BEIRUTE, Líbano (09:15) - Uma semana após os Emirados Árabes Unidos (EAU) e a Arábia Saudita buscarem o apoio militar dos EUA para capturar a estratégica cidade portuária iemenita de Hodeideh, este último emitiu um alerta para os dois países do Golfo. afirma sobre a realização de tal ofensiva.

"Em termos de uma operação em Hodeidah, temos bastante claro que queremos nos engajar no caminho político", disse uma autoridade ocidental sob condição de anonimato, acrescentando que o enviado da ONU para o Iêmen Martin Griffiths "agora tem a melhor chance de qualquer um em algum tempo de se mexer. ”

"Este é um ponto que fizemos no nível superior", acrescentou o funcionário. "Os sauditas e os Emirados deixaram claro que não iriam se mover sem um entendimento conjunto de seus amigos e parceiros sobre quais seriam os próximos passos - o que aconteceria no dia seguinte - se houvesse um ataque a Hodeidah".

No entanto, apesar do "entendimento", os Emirados Árabes Unidos e as forças apoiadas pela Arábia Saudita continuaram sua ofensiva para capturar Hodeideh das forças Houthi.

"Os Estados Unidos têm sido claros e consistentes em afirmar que não apoiaremos ações que destruam infra-estruturas importantes ou que possam exacerbar a terrível situação humanitária que se expandiu neste conflito", disse o porta-voz à Reuters, que não estava autorizado a falar publicamente sobre o assunto e pediu para não ser identificado.

"Esperamos que todas as partes respeitem a Lei dos Conflitos Armados e evitem atingir civis ou infra-estrutura comercial", disse o porta-voz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário