25 de fevereiro de 2015

A manobra dos EUA via aliados em entregar armas letais à Ucrânia.Vice-chanceler ucraniano diz não há nada a temer em uma Guerra total contra a Rússia.

EUA empurram para Kiev escalada da crise,enviando armas por lavagem através de Abu Dhabi

  Poroshenko, incitado sobre por seus patrocinadores americanos neoconservadores, quer uma guerra total com a Rússia
US Empurra Para Kiev Escalation, Braços pela lavagem de Armas Através de Abu Dhabi

 25 de fevereiro de 2015


Os EUA estão a contornar a sua própria política proclamada de não entregar armas à Ucrânia e é assim, apesar das dúvidas urgentes de seus aliados europeus, aumentando a chance de uma catastrófica guerra mais ampla na Europa.
O presidente fruto do golpe ucraniano Poroshenko foi a uma exposição internacional de armamento em Dubai.Lá ele conheceu o chefe vendedor de armas militares dos EUA.

ABU DHABI - O presidente ucraniano, Petro Poroshenko deve se reunir com as empresas de defesa dos EUA nesta terça-feira durante uma grande exposição de armas letais aqui, embora o governo americano não tenha esclarecido as empresas que vão vender a Kiev armas letais.Frank Kendall, executivo para este setor do Pentágono se reuniu com uma delegação ucraniana segunda-feira, no entanto Poroshenko não era esperado para estar lá.  Kendall, em uma entrevista, disse que estará trazendo uma mensagem de apoio dos Estados Unidos.
"Espero que a conversa será sobre suas necessidades", disse Kendall  ao Defense One algumas horas antes da reunião. "Estamos limitados neste momento no tempo em termos do que somos capazes de fornecê-los, mas onde podemos ser solidários, queremos ser."

Poroshenko, incitado sobre por seus patrocinadores americanos neoconservadores, quer uma guerra total com a Rússia. Vice-chanceler de Porosheko, atualmente em uma visita no Canadá, passou a mensagem :

  Vice-chanceler da Ucrânia diz que ele está se preparando para uma  "guerra total" contra a Rússia e quer que o  Canadá a ajudar, fornecendo armas letais e o treinamento para usar elas.Vadym Prystaiko, que até no ano passado foi o embaixador da Ucrânia para o Canadá, diz que o mundo deve não ter  medo de se juntar a Ucrânia nessa luta contra uma potência nuclear.
Na mente dessas pessoas travaremos uma "guerra total" contra uma superpotência nuclear como a Rússia e não há nada a temer.  Estes são realmente loucos.
Rússia diz que armas entregues para a Ucrânia iria criar problemas real.  Eles querem dizer isso. Para dica de como a Rússia irá contrariar tal movimento apenas ofereceu uma  sistema de defesa de mísseis S-300 temperado para o Irã:

  Sergei Chemezov, executivo-chefe da corporação de defesa russa Rostec, disse que Teerã está considerando a sua oferta para vender um sistema de defesa aérea Antey-2500 anti-balísticos, The Antey-2500 é um sistema móvel de misseis superfície-ar que oferece capacidades de combate avançados , incluindo a destruição de aeronaves e mísseis balísticos com um alcance de cerca de 1.500 milhas, de acordo com seu fabricante, Almaz-Antey.
O sistema foi desenvolvido a partir de uma versão menos avançada - o sistema S-300V 1980-geração - que tem um alcance de 125 quilômetros.  Um contrato de 2007 para fornecer o sistema S-300 ao Irã foi cancelada em 2010, depois que os EUA e Israel fizeram lobby contra ela, ...
Tal sistema no Irã, em caso de um conflito, pôr em perigo todo avião dos EUA no Oriente Médio.

  Mas essa ameaça não intimidou os EUA como o traficante de armas dos Estados Unidos em Abu Dhabi disse: "onde podemos ser solidários, queremos ser".Os EUA irão agora disfarçar seu programa de envio de armas para Kiev por lavagem  através dos suas patrocinadas ditaduras do Oriente Médio:


Os Emirados Árabes Unidos não são conhecidos como produtor de armas.  Mas que compra lotes de armas norte-americanas. Ele vai encaminhar agora aquelas a Ucrânia, enquanto os EUA vão alegar que eles não armam à Ucrânia.  Quem é que eles acham que vão acreditar neles?
  Esta é novamente uma perigosa escalada do conflito na Ucrânia por maquinações dos EUA. Ele vem no mesmo momento em que a Rússia, França, Alemanha e Ucrânia se reúnem em Paris para empurrar para uma implementação mais rápida do acordo de Minsk 2 para um cessar-fogo e para uma solução política para a guerra civil na Ucrânia:

O porta-voz para o Ministério de Serviços Externos  ucranianos Yevhen Perebyinis disse que, durante a sua reunião de Paris, o quarteto de chanceleres incidiriam sobre a aplicação dos acordos de Minsk e retirada de artilharia pesada em Donbas.
O governo ucraniano disse que  não vai retirar sua artilharia, enquanto ainda ocorrem escaramuças em torno de alguns pontos críticos ao longo da linha de cessar-fogo. Em Shirokyne leste de Mariupol o pró-governo  alinhado batalhão neo-nazi Azov continua a atacar os separatistas. A propaganda ucraniana afirma que os federalistas planejam um ataque imediato em Mariupol.Isso é um absurdo e federalistas negaram quaisquer planos para novos combates. Ao contrário do governo ucraniano is separatistas começaram a puxar para trás a sua artilharia e continuarão a fazê-lo.
  O governo ucraniano está a violar o acordo de Minsk 2 por não puxar para trás nenhuma de sua artilharia pesada a partir da linha de cessar-fogo. Os EUA estão a armar o exército ucraniano e em breve treinarão seus voluntários neo-nazi e forças da "guarda nacional".
  As grandes potências europeias, Alemanha, França e Rússia, tentaram domar o conflito para baixo. Os EUA e seus poodles em Kiev continuam a por álcool no fogo.  Se os europeus não conseguem empurrar de volta contra Washington e a Ucrânia, teremos queimadura por toda Europa com ele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário