24 de fevereiro de 2015

Sequestros ISIS

ISIS sequestra pelo menos 90 cristãos assírios, no nordeste da Síria - relatado


RT
24 de Fev 2015

Estado Islâmico raptou pelo menos 90 cristãos assírios no nordeste da Síria, informou a Reuters, citando um grupo de acompanhamento.

Os seqüestros aconteceram após o amanhecer, como aldeias habitadas pela antiga minoria cristã foram invadidas pelo grupo terrorista perto da cidade de Tel Hmar, de acordo com o Observatório Sírio sediada no Reino Unido para os Direitos Humanos.

Tel Hmar está situado na zona rural da cidade de Hasaka, controlado principalmente por curdos.

O monitor não tinha detalhes sobre as pessoas raptadas, exceto que eles foram seqüestrados de duas aldeias, Tal Shamiram e Tal Hermuz, após o ataque por caças Estado islâmico, informou a AFP.

Isto vem como curdos sírios realizaram uma ofensiva no nordeste da Síria, próximo à fronteira com o Iraque, causando perdas na IS.

Durante a ofensiva, os curdos tomaram 24 vilas e aldeias, e seu plano é aproveitar a cidade de Tal Hamis e áreas adjacentes de Estado islâmico.

Além disso, o Observatório Sírio para os Direitos Humanos disse que a coalizão liderada pelos Estados Unidos realizara uma série de ataques aéreos ao redor Tal Hamis na terça-feira, que matou 14 guerreiros do ISIS.


É pouco mais de uma semana desde que o grupo terrorista divulgou um vídeo gráfico mostrando a execução de 21 egípcios cristãos coptas depois de seu rapto na Líbia.

O presidente egípcio, Abdel Fattah Sisi chama para uma resolução da ONU que permita forças internacionais para intervir na Líbia após o incidente, mas não obteve muito apoio.

Os assassinatos provocaram uma dura resposta do governo egípcio, com ataques aéreos realizados pelas forças armadas do país logo após a metragem surgiu.

Além disso, um par de semanas atrás, uma notícia chocante surgiu que os militantes de SI ter matado sequestrado crianças iraquianas de maneira tão brutal como enterrar vivos e crucificação.

Aquelas crianças não morto pelos terroristas são vendidas como escravas sexuais, de acordo com dados da ONU.

Cerca de um mês atrás, o jornalista japonês Kenji Goto foi decapitado pelo Estado Islâmico, o mais recente em uma série de jornalistas para ser morto pelo grupo terrorista.

Este artigo foi publicado: terça-feira, 24 fevereiro, 2015 em 06:43

Nenhum comentário:

Postar um comentário