23 de fevereiro de 2015

Hitler não morreu da forma como a versão oficial nos contou. Fugiu e morreu na Argentina.Documentos do FBI

FBI: Hitler não morreu, fugiu para a Argentina - Admissão impressionante agita versão oficial


Escondido em plena vista. Hitler fugiu para a Argentina e todos os detalhes estão disponíveis para visualização no site do próprio FBI: fbi.gov
Hitler Didn’t Die Fled To Argentina Stunning Admission
Red Flag News reporta:
Documentos do FBI recentemente desclassificados provam que o governo sabia que Hitler estava vivo e bem, e estava na Cordilheira dos Andes muito depois da Segunda Guerra Mundial.

Em 30 de abril de 1945, Adolf Hitler se suicidou em seu bunker subterrâneo. Seu corpo foi descoberto mais tarde e identificados pelos soviéticos antes de ser levado de volta para a Rússia. É realmente possível que os soviéticos foram ditando tudo isso por esse tempo, e que a história foi propositadamente reescrita?

Ninguém pensava assim até a liberação dos documentos do FBI. Parece que é possível que o homem mais odiado da história escapou da Alemanha devastada pela guerra e viveu uma vida bucólica e tranquila nos maravilhosos sopés da Cordilheira dos Andes argentinos.

A comunidade de inteligência conheciam.

Documentos do FBI recentemente divulgados estão começando a mostrar que não só foi Hitler e Eva Braun suicidando como um fato falsificado, a dupla infame  teria tido a ajuda do diretor do próprio OSS, Allen Dulles.

Em um documento do FBI de Los Angles, é revelado que a agência estava bem ciente de um submarino misterioso fazendo o seu caminho até a costa argentina cair fora oficiais nazistas de alto nível. O que é ainda mais surpreendente é o fato de que o FBI sabia que ele era, de fato, vivendo no sopé da Cordilheira dos Andes.

Quem é o informante misterioso?

Em uma carta Los Angeles com o Bureau, em agosto de 1945, um informante não identificado concordara em trocar informações por asilo político. O que ele disse aos agentes foi impressionante.

O informante não só  que conhecia que Hitler estava na Argentina, ele foi um dos confirmados quatro homens que tinham encontrado o submarino alemão. Aparentemente, dois submarinos haviam desembarcado na costa argentina, e Hitler com Eva Braun estavam a bordo do segundo.

O governo argentino não só acolheu o ex-ditador alemão, mas também ajudou em seu esconderijo. O informante passou a não só dar instruções detalhadas para as aldeias que Hitler e seu partido havia passado, mas também detalhes físicos credíveis relativos a Hitler.

Embora por razões óbvias o informante não serem revelados nos documentos do FBI, ele era credível o suficiente para ser considerado por alguns agentes.

O FBI tentou esconder o paradeiro de Hitler.

Mesmo com uma descrição física detalhada e instruções o FBI ainda não seguimento a estas novas pistas. Mesmo com a evidência de colocar o sub alemão U-530 na costa argentina pouco antes de finalmente circundante, e abundância de testemunhas oculares de oficial alemão que está sendo deixado cair fora, ninguém investigou.

Mesmo mais evidência é encontrada:

Junto com os documentos do FBI detalhando uma história de uma testemunha ocular do paradeiro de Hitler na Argentina, mais evidência está vindo à luz para ajudar a provar que Adolf Hitler e Eva Braun não morreram naquele bunker.

Em 1945, o Adido Naval em Buenos Aires informou  a Washington  que havia uma alta probabilidade de que Hitler e Eva Braun tinham acabado de chegar na Argentina. Isto coincide com os avistamentos do submarino U-530. Prova adicionado vem sob a forma de artigos de jornal, detalhando a construção de uma mansão em estilo bávaro, no sopé da Cordilheira dos Andes.

Outra prova vem na forma do arquiteto Alejandro Bustillo, que escreveu sobre a sua concepção e construção de nova casa para Hitler, que foi financiado por imigrantes alemães ricos anteriores.

Prova irrefutável de que Hitler Escapou:

Talvez a evidência mais avassaladora de  que Hitler fez sobrevivente à queda da Alemanha encontra-se na Rússia. Com a ocupação soviética da Alemanha, supostos restos mortais de Hitler foram rapidamente escondidos e enviados para a Rússia, para nunca mais ser visto novamente. Isto é, até 2009, quando um arqueólogo do estado de Connecticut, Nicholas Bellatoni foi autorizado a realizar testes de DNA em um dos fragmentos do crânio recuperados.

O que ele descobriu desencadeou uma reação através da inteligência e comunidades acadêmicas. Não só o DNA não correspondia a nenhuma das amostras gravadas pensadas para ser de Hitler, eles não encontraram DNA familiar de Eva Braun . Então a questão é, o que os soviéticos descobriram no bunker, e onde está Hitler?

Até o ex-general e presidente Dwight D. Eisenhower escreveu a Washington.

Não foi só o general Eisenhower, que estava preocupado com o desaparecimento de Hitler, ao competir com Stalin  que também expressou suas preocupações. Em 1945, o jornal Stars and Stripes citou  o então General Eisenhower como acreditando que a possibilidade real existia de Hitler viver com segurança e conforto na Argentina.

É possível?


Com todas as novas evidências encontradas vindo à luz, agora é possível e até provável que não só fez Hitler  sua fuga da Alemanha; ele teve a ajuda da comunidade internacional de inteligência. Documentos do FBI divulgados provaram que não só estivessem cientes da presença de Hitler na Argentina; eles também estavam ajudando a encobri-lo.

Não seria a primeira vez que o OSS ajudou um alto funcionário nazista para escapar da punição e captura. Olhe para a história de Adolf Eichmann, que foi localizado na Argentina na década de 1960.

Será que Hitler escapou para a Argentina? A resposta é sim.

http://www.pakalertpress.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário