29 de dezembro de 2016

A resposta dos EUA sob Obama a suposta interferência russa nas eleições 2016

modo férias

EUA expulsam  35 diplomatas  russos e fecha dois supostos complexos de Inteligência


Publicado: 29 dez  2016 19:18 GMT | Última atualização: 29 dez 2016 20:53 GMT
Washington acusa a Rússia de Putin de perseguir  diplomatas norte americanos em Moscow  e de usar instalações de Inteligencia em Maryland e New  York para lançar ciberataques.
EE.UU. expulsa a 35 diplomáticos rusos y cierra  dos supuestos complejos de Inteligencia
A Embaixada da Rússia em Washington, EUAShawn ThewAFP
Estados Unidos ordenaram a expulsão sumária e  declarando  como personas non gratas a 35 integrantes das missões diplomáticas da Rússia em território norte americano, assim como fechamento de dois dos supostos complexos da Inteligencia russa presentes em Maryland e New York em  resposta a uma suposta campanha de perseguição do Kremlin contra diplomatas dos EUA em Moscow , informa Reuters.
Uma nota de imprensa publicada pela Casa Branca, justifica esta medida pelos supostos ciberataques criminosos sofridos pelo país durante a campanha eleitoral nas  eleições presidenciais.
"Esta decisão foi  tomada como medida de resposta frente a perseguição pela Rússia sobre os diplomatas  dos EUA  e  pelas ações de seus homólogos russos, que os consideramos  incompatíveis  com a prática diplomática", declarou esta Quinta  um  alto funcionário dos EUA . sob condição de anonimato.
Assim mesmo, os diplomatas sancionados por Washington tem agora apenas 72 horas para deixarem os EUA , enquanto  que p acesso aos dois supostos complexos de Inteligencia russa, desde onde -segundo a Casa Branca- se realizavam ações de ciber espionagem  por parte do Serviço  Federal de Segurança  (FSB) e o   Departamento Central de Inteligencia (GRU), estando eles proibidos para todos os funcionários russos a partir da tarde desta tensa Quinta-feira .
"Seguiremos dando passos de diversas frentes quando e onde decidamos, alguns dos quais não serão dados a conhecer publicamente. Estados Unidos e nossos  amigos e aliados em todo o  mundo deveremos trabalhar conjuntamente para opormos  aos esforços da Rússia para atentar conta as normas internacionais de comportamento e para interferir nos governos democráticos", reza a nota de imprensa da Casa Branca.

A reação de Moscow 

Por sua parte, o  Ministério russo de Relações  Exteriores da Rússia declarou  que estas novas sanções  são "contraproducentes", porque vão agora é "dificultar o  restabelecimento das relações bilaterais " entre ambos países.

Acusações sem fundamento

No último mês de Outubro, a  CIA apresentou uma analise  em que ela  acusa a Rússia de intervir descaradamente com ajuda de piratas informáticos no curso das eleições presidenciais  dos EUA de 2016 para ajudar a Donald Trump a ganhar. Todavia , o Escritório do Diretor da Inteligencia Nacional (ODNI, nas  suas siglas em inglês) não respalda dita informação  e assegura que  não contam com provas que confirmem  as acusações.
Segundo o informe da CIA, os supostos 'hackers' russos violavam as contas de correio tanto do  Partido Democrata de Hillary Clinton,  como do Republicano de Donald Trump. Por sua parte, o Kremlin declara que Washington deve apresentar provas fidedignas dos supostos ciberataques por parte da Rússia durante a campanha eleitoral norte americana ou, do contrario, deixar de seguir com as acusações.
Fonte:
Tradução> Daniel Lucas-Blog UND

Nenhum comentário:

Postar um comentário