29 de dezembro de 2016

Soros em pânico com Trump

modo férias 




Soros: Trump é um "Sério Ditador" que Ameaça a Nova Ordem Mundial



Bilionário globalista demonstra seu pânico


Paul Joseph Watson


29 de dezembro de 2016

null
O bilionário globalista George Soros escreveu um discurso de pânico em que ele desacredita o presidente eleito Donald Trump o chamando de um "ditador" que ameaça o futuro da nova ordem mundial.
Em um artigo para o Project Syndicate, Soros começa mencionando como ele viveu sob o regime nazista e depois o comunista soviético na Hungria antes de afirmar que "várias formas de sociedades fechadas - das ditaduras fascistas aos estados mafiosos - estão em ascensão".
Esta afirmação é confundida pelos fatos, que mostram que, "A parcela da população mundial vivendo em democracias (tem) aumentado continuamente."
Soros escreve que ao votar por Trump, os americanos "elegeram um trapaceiro e um pretensioso ditador como seu presidente", e que a derrota de Hillary Clinton significa que a América será "incapaz de proteger e promover a democracia no resto do mundo". Porque essa política funcionou tão bem no Iraque, Afeganistão, Síria e Líbia).
Soros também bate no novo gabinete de Trump como contendo nada além de "extremistas incompetentes" e "generais aposentados".
Explicando como ele apóia a União Européia porque é uma tentativa bem sucedida de "engenharia social", Soros lamenta o fato de que o corpo se tornou "cada vez mais disfuncional" e sua desintegração foi acelerada ", primeiro a partir de Brexit, depois pela eleição de Trump nos Estados Unidos, e em 4 de dezembro de rejeição dos eleitores italianos, por ampla margem, de reformas constitucionais ".
Soros também comenta a suposta influência indevida do presidente russo Vladimir Putin durante a eleição presidencial.
"No início, ele tentou controlar a mídia social. Em seguida, em uma jogada brilhante, ele explorou o modelo de negócios das empresas de mídia social para espalhar informações errôneas e notícias falsas, desorientando eleitores e democracias de formas desestabilizadoras. Foi assim que ele ajudou Trump a ser eleito ", escreve Soros.
Soros diz que Putin "se sentiu ameaçado por" revoluções de cor "na Geórgia, Ucrânia e em outros lugares", sem mencionar que o próprio Soros desempenhou um papel-chave no financiamento desses levantamentos inventados, bem como a revolução de cores fomentada contra Trump.
A ironia de um elitista ultra rico que financiou a derrubada de inúmeros governos insistindo que ele se preocupa com a "democracia"  vontade do povo é particularmente rica.
O tom inteiro da peça é claramente carregado com a preocupação de que o movimento populista varrendo o oeste representa uma ameaça direta à nova ordem mundial plutocrática que Soros passou toda a sua vida ajudando a construir.
Conclui advertindo que "a UE está à beira da ruptura" devido ao crescimento económico estagnado e à crise de refugiados fora de controle (que o próprio Soros ajudou novamente a criar, em primeiro lugar, como forma de obter poder político).
*********************

Um comentário:

  1. O que negocialmente para os eua os numeros revelam; revela-se mais lucrativo o espolio de um pais ou melhor ergue-lo e utilizar seu mercado consumidor ?

    ResponderExcluir