8 de fevereiro de 2017

10 nações que nem existir mais daqui 100 anos

UND: Creio que nessa lista, deveriam entrar outras nações, inclusive pelo jeito que andam as coisas por aqui, também corremos riscos de não termos o Brasil como o conhecemos em 100 anos.

10 nações que não existirão em 100 anos...


Algumas listas indicam que muitas nações estabelecidas do mundo, incluindo a China - que tem em torno de mais de 4.000 anos - estão à beira do colapso e podem desaparecer dentro de algumas décadas. Países europeus, incluindo a Espanha e a Bélgica, também são apontados como tendo seu futuro arruinado. Também apresentam de maneira polêmica o Estado Islâmico (ISIS) como um país, embora o termo jihadista não seja reconhecido como tal por qualquer nação, governo ou organização internacional no planeta.
Obviamente, a presença dos países nesta lista não significa que eles irão necessariamente entrar em colapso, mas estão em maior risco do que outros, devido ao clima político e demais razões governamentais, entre outras. Aqui vamos lhes apresentar os 10 países que supostamente desaparecerão do mapa do mundo nas próximas décadas e como isso vai acontecer. Não perca porque é muito interessante!

10. Espanha

A Espanha, um país unificado há mais de 600 anos, está "à beira do colapso" devido a uma esmagadora crise econômica e aos movimentos secessionistas. As regiões do Euskadi e Catalunha, juntamente com sua segunda maior cidade, Barcelona, querem maior autonomia do governo central, em Madrid, com o objetivo final de se tornarem estados autônomos. Contudo, a Espanha também enfrenta uma horrenda depressão econômica, com um quarto dos jovens sem trabalho e muitos outros com pobreza cada vez maior.

9. Coreia do Norte

O brutal ditador Kim Jong-Un será forçado a afrouxar seu controle sobre o poder nas próximas duas décadas, porque seu país está ficando para trás em função dos avanços tecnológicos. Acredita-se que o Estado fechado "simplesmente não tem recursos suficientes dentro de suas fronteiras para sobreviver ao século XXI", e terá que se abrir para o comércio com a China e com o Ocidente como resultado disso. "Quando a Coreia do Norte, finalmente, abrir as suas fronteiras para o mundo, é provável que o regime de Kim não sobreviva." No entanto, não há nenhuma evidência de que isso irá acontecer. Nos últimos anos, ele agiu de maneira cada vez mais errática e violenta em relação ao oeste, purgando os oponentes de seu Partido dos Trabalhadores para consolidar sua permanência no poder.

8. Bélgica

A Bélgica pode desmoronar porque os seus cidadãos são "profundamente divididos segundo linhas étnicas". Sua duas regiões distintas, Flandres e Valônia, têm culturas muito díspares e até mesmo falam línguas diferentes. Há alguns, em ambos os lados do debate, que querem que a Bélgica se divida em dois países e, em 2013, o país gastou 589 dias sem governo porque os políticos de oposição não conseguiam concordar em formar uma coalizão. "Nos próximos 20 anos, a Bélgica pode se quebrar, criando-se dois novos países na Europa, Flandres e Valônia.” O líder do UKIP, Partido da Independência do Reino Unido, Nigel Farage, causou polêmica ao chamar Bélgica "nenhum país" e prever sua dissolução.

7. China

O autor admite abertamente que a presença da China, que surgiu como um país unificado no ano de 2070 a.C., nesta lista é a mais surpreendente de todas. Acredita-se que os graves problemas ambientais na China, tais como poluição e água contaminada, poderiam levar a uma revolução contra o entrincheirado governo comunista. Metade dos rios da China estão muito poluídos, sua água não é potável mesmo após o tratamento, ao mesmo tempo que 250.000 pessoas morrem prematuramente devido à poluição atmosférica, de acordo com o Banco Mundial. A China não tem história de movimentos separatistas, exceto em áreas que conquistaram, como o Tibete, portanto não fica claro em que linhas se crê na possibilidade de sua divisão. "Apesar de ter o maior exército do mundo e uma das economias mais poderosas, a China tem profundos problemas a serem abordados para que possa sobreviver ao século XXI. O desastre pode estar virar se a esquina ".

6. Iraque

Pode ser que o Iraque nunca mais volte a ser um país unificado. Os jihadistas do ISIS controlam grande parte do oeste do país e os curdos se mantêm no norte, deixando o governo internacionalmente reconhecido entrincheirado em seus redutos do sul. O Iraque terminará se dividindo em três países separados, baseados em suas linhas tribais, como era antes da unificação da nação ter sido criada pelos britânicos "sem nenhum respeito pelas divisões culturais da região. Saddam Hussein foi capaz de manter o Iraque unido pela opressão e pela força bruta, mas agora o país está rapidamente se desintegrando. É difícil que os sunitas, curdos e xiitas concordem em viver sob uma mesma nação. "

5. Líbia

A Líbia, como o Iraque, é uma "criação artificial de uma era colonial". A antiga colonia italiana foi mantida unida pelo implacável ditador Muammar Kadhafi antes de David Cameron decidir ajudar a eliminá-lo, provocando uma sangrenta guerra civil. O Estado norte-Africano está caindo aos pedaços, com os combatentes retornando aos seus instintos tribais, o que poderia levar a Líbia a unir-se com o Iraque, em nome de uma quebra em três nações diferentes. "A segunda guerra civil na Líbia está em curso, mas é provável que uma Líbia unificada não sobreviva ao conflito".

4. Estado Islâmico

Isso é um pouco controverso, já que o Estado Islâmico não é um país reconhecido internacionalmente. Acredita-se que a lista crescente de inimigos que combatem os jihadistas e os bombardeios aéreos dão conta de que seja muito improvável que o seu chamado califado não sobreviva por muito mais tempo. "Para o Estado Islâmico poder sobreviver, ele deve derrotar ou fazer as pazes com o Iraque, o Curdistão, o governo sírio, o Exército Sírio Livre, a Arábia Saudita, o Irã e a coalizão liderada pelos Estados Unidos. Até o momento, a sobrevivência de E.I está sob ameaça constante.

3. Reino Unido

Acredita-se que a independência do ano passado e os movimentos nacionais crescentes no País de Gales e na Irlanda do Norte sejam motivos de preocupação em relação ao futuro do Reino Unido. Os escoceses, que votaram entre 55% e 45% para permanecer na união "não abandonarão tão facilmente sua busca pela independência." Diz-se também que "existem movimentos borbulhando" no País de Gales e na Irlanda do Norte, que têm seus próprios parlamentos, e que podem, eventualmente, levantar a bandeira da autonomia. "Se qualquer uma dessas regiões ganhar a independência do Reino Unido, é possível que a unificação se desintegre."

2. Estados Unidos

Parece que a nação mais poderosa do mundo poderia se quebrar nos próximos 20, anos, especialmente com a nova eleição de Donald Trump. Além disso, a profunda divisão norte-sul entre os seus diferentes estados, que foi consolidada desde a guerra civil que levou à unificação do país, também poderia ser uma das razões. O Alasca e o Texas são os estados mais poderosos propensos a deixar a União, mas podem não ser os únicos. "Muitas das divisões que causaram a guerra civil nos Estados Unidos ainda existem até hoje. Se estas profundas diferenças políticas e culturais dentro os EUA não forem corrigidas, é possível que alguns estados possam se separar nos próximos 20 anos ".

1. Maldivas

Os cientistas há muito alertaram que o paradisíaco estado insular - um destino turístico popular para os britânicos - em breve será engolido pelos oceanos devido ao aumento dos níveis do mar causado pelo aquecimento global. O ex-presidente da nação predominantemente muçulmana ainda tentou comprar terras em seu vizinho, sul da Ásia, para mover seu povo quando o inevitável chegasse, quando a iminente destruição do país acontecesse. A nação insular das Maldivas corre risco extremo de afundamento devido à subida do nível do mar. Você achou interessante? Compartilhe esse artigo com todos e deixe um Like em nossa página no Facebook!
Fonte: express.co

Um comentário:

  1. E o Brasil ??? Esse aí não existirá nem em 100 dias no ritmo atual.

    ResponderExcluir