6 de fevereiro de 2017

Força conjunta sueco-finlandesa

Finlândia e Suécia juntam-se à Força Expedicionária Conjunta do Reino Unido


Finland & Sweden mull joining UK-led Joint Expeditionary Force
A Finlândia e a Suécia estão pensando em se juntar a um grupo militar de elite liderado pelo Reino Unido capaz de mobilizar dezenas de milhares de soldados para responder a uma variedade de ameaças em qualquer lugar do mundo. Ambos os países nórdicos não membros da OTAN receberam convites durante o fim de semana.
A Força Expedicionária Conjunta (JEF), que começou a se formar em dezembro de 2012, é projetada para operar sozinha ou em conjunto para apoiar missões da OTAN, da União Européia ou das Nações Unidas em qualquer lugar do mundo.
A força incorporará unidades aéreas e navais, bem como tropas terrestres, e será liderada por comandantes britânicos, com outras nações participantes contribuindo com uma série de tropas e unidades especializadas.
Uma carta de intenções assinada com parceiros da Dinamarca, da Estónia, da Letónia, da Lituânia, dos Países Baixos e da Noruega tem por objectivo desenvolver o JEF para entrar em pleno funcionamento antes de 2018, mas a força já pode ser utilizada se necessário.
"Juntar-se a esta força tem a ver com a OTAN, porque a idéia surgiu dentro da OTAN e a força atua dentro do escopo da OTAN, como exercido pelos estados em questão. Eles podem decidir por si próprios se convidarem países não pertencentes à OTAN ", disse Janne Kuusela, do Ministério da Defesa finlandês, segundo a imprensa local. A cooperação militar da Finlândia e da Finlândia com a OTAN baseia-se em suas políticas de não alinhamento. No entanto, ambos os países contribuíram para as operações de paz multinacionais da NATO em capacidades não-combatentes. Agora, ambos os países nórdicos estão considerando se juntar JEF trará benefícios mútuos.
"A oferta de cooperação baseia-se na participação da Finlândia e da Suécia numa parceria reforçada com a NATO e temos uma boa história com operações conjuntas com o Reino Unido", sublinhou Kuusela.
As Forças Armadas da Suécia também estão preparadas para entrar em discussões sobre o potencial de juntar-se à força.
"Também discutimos com a Finlândia e faremos uma análise conjunta da possível participação no JEF. Vamos coordenar nossa posição sobre isso ", disse o ministro da Defesa sueco, Peter Hultqvist, ao jornal Dagens Nyheter.
A Suécia, que manteve uma política externa baseada no não-alinhamento e se recusou a aderir à OTAN por anos, acredita que a adesão ao JEF será possível.
"A JEF não é uma força da OTAN, mas uma iniciativa britânica e uma operação liderada pelos britânicos. Isso significa que podemos participar sem qualquer obrigação de participar de operações ", disse o ministro da Defesa sueco.
A Finlândia, que também se manteve independente da OTAN, diz que pode precisar atualizar seu hardware militar para se integrar plenamente com o JEF.
"Juntar-se a esta força teria de alguma forma beneficiar as capacidades de defesa da Finlândia", disse Kuusela, acrescentando que "achamos que o desempenho militar da Finlândia precisa ser atualizado no atual ambiente de segurança global, então a oferta é bastante interessante. Mas isso será cuidadosamente eliminado e só trazido para a esfera política se considerarmos JEF vale a pena juntar-se ".

https://www.rt.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário