12 de fevereiro de 2017

Surgem os primeiros desafios externos a Trump

Coreia do Norte dispara novo míssil no Mar do Japão: provocação aos EUA ?




mediaO porta-voz da chancelaria da Coreia do Sul, Cho June-hyuck, durante coletiva de imprensa sobre o míssil balístico lançado pela Coreia do Norte neste domingo, 12 de fevereiro de 2017.Yonhap via REUTERS
Coreia do Norte disparou um míssil balístico neste domingo (12), um lançamento considerado por Seul como uma "provocação" e uma ação que visa testar o presidente americano Donald Trump.




O míssil foi disparado às 7h55 locais deste domingo (12) (20h de sábado, em Brasília) a partir de uma base aérea localizada na região oeste da Coreia do Norte. Segundo a chancelaria da Coreia do Sul, trata-se de uma "versão melhorada" do Musudan, projétil de alcance intermediário, projetado para cobrir uma extensão de 3 mil a 4 mil km. O míssil voou em direção ao leste durante 500 quilômetros caindo em seguida no Mar do Japão , segundo informações do Ministério da defesa sul-coreano.
O premiê japonês Shinzo Abe, que passou o fim de semana na companhia de Donald Trump, na Flórida, não aprovou a ousadia norte-coreana e reagiu dizendo que o lançamento foi uma provocação "intolerável". Já o presidente americano preferiu ignorar a operação militar da Coreia do Norte. No entanto, Trump fez questão de manifestar seu apoio ao Japão no episódio do míssil balístico deste domingo. "Quero que todos entendam e estejam cientes de que os Estado Unidos apóiam o Japão, seu maior aliado, a 100%", afirmou o presidente americano.
O lançamento do míssil norte-coreano deverá testar o compromisso de Donald Trump, que prometeu endurecer em relação ao regime de Kim Jong-un, que no ano passado testou mísseis nucleares e balísticos violando resoluções da ONU.
Um membro da equipe do governo dos Estados Unidos informou que o ato "não é uma surpresa" e sim uma "provocação" da Coreia do Norte, algo que já era “esperado” depois da posse de Donald Trump. "O líder norte-coreano gosta de chamar a atenção para momentos como este ", afirmou o funcionário americano.
Ele declarou ainda que a Casa Branca vai estudar diferentes possíveis reações ao lançamento do míssil, mas, mas que a resposta deverá ser gradual para evitar uma escalada nuclear, uma vez que, segundo o Pentágono, o projétil era um míssil de “alcance médio ou intermediário” e não um verdadeiro ICBM, a sigla que determina mísseis balísticos intercontinentais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário