10 de março de 2017

Tensão tende a aumentar na Ásia depois dos EUA instalarem sistema THAAD

China adverte de primeiro ataque nuclear em resposta à implantação de THAAD




"EUA devem pagar o preço"


Paul Joseph Watson
Prison Planet.com
10 de Março  , 2017
null
A China adverte que está modificando sua política de não usar armas nucleares contra a Coréia do Sul para destruição do sistema de mísseis THAAD e envio de bombardeiros B-52 para proteger seu aliado.
A THAAD está sendo usado para proteger a Coréia do Sul dos mísseis balísticos norte-coreanos após vários testes feitos pelo Estado stalinista nos últimos meses. Pequim está furiosa porque o sistema também será capaz de detectar e rastrear mísseis lançados da China.
Também foi relatado ontem que os EUA enviarão bombardeiros nucleares B-1 e B-52 para a Coréia do Sul para exibir uma demonstração severa de força.
300.000 soldados sul-coreanas e 15.000 funcionários norte-americanos também iniciaram seu exercício militar anual o Foal Eagle. O USS Carl Vinson, porta-aviões nucleares, irá juntar-se às dezenas de aviões de combate.
Um artigo do Global Times, que é amplamente considerado como a voz do governo comunista chinês, diz que Pequim responderá às "provocações estratégicas" dos Estados Unidos agindo com um "rápido aumento no número e qualidade das armas nucleares estratégicas da China" e que a China não está preocupada em começar uma  "corrida armamentista".
Afirmando que "os EUA devem pagar o preço pelo desdobramento do THAAD", a notícia continua: "Se os EUA intensificarem suas tentativas anti-mísseis e contenção estratégica, a China poderá reconsiderar sua promessa de não ser a primeira a usar armas nucleares."
Em outras palavras, Pequim está sinalizando que estará preparada para usar armas nucleares contra a Coréia do Sul em caso de conflito.
Em um tenso desenvolvimento relacionado, o segundo porta-aviões da China está se aproximando da conclusão, enquanto a China promete usar sua "marinha de primeira classe" para interceptar qualquer "aeronave de intrusão" dentro de sua região de controle.
No mês passado, Pequim advertiu o governo Trump que o Exército Popular de Libertação está "preparando-se para" a guerra após o desdobramento do USS Carl Vinson, comandado pela força nuclear, para patrulhar o Mar da China Meridional.
Enquanto isso, o colunista Pat Buchanan adverte que uma nova "crise de mísseis coreana" pode estar no horizonte.
"Novos testes da Coréia do Norte de mísseis ou bombas atômicas para um ICBM podem causar ataques dos EUA em suas instalações nucleares e locais de mísseis, inflamando um ataque ao sul", ele escreve, acrescentando que a China será forçada a defender seu aliado.

*********************

Paul Joseph Watson é o editor de  Infowars.com and Prison Planet.com.

Nenhum comentário:

Postar um comentário