4 de maio de 2017

Guerra Fria 2.0

Bombardeiros russos, caças voam perto do Alasca, levando escolta da Força Aérea


Dois bombardeiros russo - escoltados pela primeira vez por um par de aviões de combate Su-35 "Flanker" - entraram na Zona de Defesa Aérea do Alasca na noite de quarta-feira, disseram autoridades dos EUA à Fox News.A formação russa foi interceptada por um par de aviões de combate furtivos F-22 da Força Aérea dos EUA que já estavam voando uma patrulha a cerca de 50 milhas a sudoeste de Chariot, no Alasca. Um porta-voz do NORAD disse à Fox News que a interceptação começou às 9 da manhã de segunda a sexta-feira e uma fonte de defesa disse que também ocorreu na quinta-feira.Foi a primeira vez que a Força Aérea dos EUA viu aviões russos avançados de combate Su-35 acompanhar os bombardeiros da era da Guerra Fria russa perto do Alasca.Os aviões de combate russos estavam desarmados e permaneceram no espaço aéreo internacional, disseram autoridades.No fim do mês passado, os bombardeiros russos voaram perto do Alasca por quatro dias consecutivos pela primeira vez desde 2014.O episódio mais recente desta semana ocorre um dia depois que o presidente Trump falou por telefone com o presidente russo, Vladimir Putin. A Casa Branca disse que a conversa se concentrou em crises no Oriente Médio e na Coréia do Norte, sem mencionar as recentes provocações russas.A conversa foi descrita em uma leitura como "uma muito boa".Trump, em abril, disse que as relações dos EUA com a Rússia estavam em um "ponto baixo de todos os tempos", e o secretário de Estado Rex Tillerson também descreveu a relação entre os países como sendo um "ponto baixo".O Conselheiro de Segurança Nacional H.R. McMaster não foi tão pessimista, porém, dizendo "Fox News Sunday" que "eu não acho que eles tenham conseguido melhor ou pior."

Lucas Tomlinson é o Pentágono e produtor do Departamento de Estado da Fox News Channel. Você pode segui-lo no Twitter: @LucasFoxNews

Nenhum comentário:

Postar um comentário