1 de dezembro de 2016

Forças sírias liberam o distrito do SE de Aleppo do domínio dos militantes



PressTv User

Tropas do governo sírio e seus aliados conseguiram retomar o controle total de um bairro no sudeste de Aleppo, que foi transformado em uma linha de frente importante na luta contra os terroristas.
Uma fonte militar da Síria não identificada anunciou a recaptura do distrito Sheikh Saeed na quarta-feira.
No entanto, o chamado Observatório Sírio para os Direitos Humanos afirmou que os grupos militantes ainda controlavam um terço do bairro.
Rússia pronta para escoltar ajuda a Aleppo oriental
Separadamente na quarta-feira, a Rússia expressou sua disposição para escoltar agências de ajuda em áreas recém-retomadas de Aleppo oriental.
O tenente-general Sergei Rudskoi, do Estado-Maior das Forças Armadas russas, disse que, apesar do anúncio, Moscou não recebeu nenhum pedido das Nações Unidas ou de outra pessoa até agora.
Rudskoi (na foto abaixo) também observou que as forças do governo sírio tinham completamente purgados terroristas da estrada Castello, que é a única linha de abastecimento em Aleppo oriental militante.

O oficial russo sublinhou mais mais que a força aérea de seu país não tinha conduzido ataques aéreos do anti-terror em Aleppo sobre os 44 dias passados.
A Síria tem sido agarrada por uma militância mortal patrocinada por estrangeiros há mais de cinco anos. A situação em Aleppo é de interesse particular porque a cidade permanece dividida entre as forças do governo no oeste e os terroristas no leste.
Desde setembro passado, a Rússia tem conduzido uma campanha aérea contra Daesh e outros equipamentos terroristas na Síria, a pedido do governo de Damasco.
Rússia pede explicação sobre as declarações anti-Assad de Erdogan
Em outro acontecimento na quarta-feira, o Kremlin exigiu uma explicação da Turquia sobre os recentes comentários do presidente Recep Tayyip Erdogan contra seu homólogo sírio, Bashar al-Assad.
Erdogan disse na terça-feira que o exército turco entrou na Síria para derrubar Assad, dizendo: "Nós fomos lá para pôr fim à regra do tirano Assad que faz terror de Estado, não por mais nada".
O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que a afirmação de Erdogan "realmente veio como notícia", acrescentando que "não está em harmonia com declarações anteriores" e "não está em harmonia com a nossa compreensão da situação".
Peskov expressou ainda a esperança de que "esclarecimento virá em breve" da Turquia.
Síria não permite interferência do 'tirano' Erdogan
A Síria também censurou as declarações de Erdogan, dizendo que sua afirmação prova que ele é um "mentiroso".
Uma fonte anônima do Ministério de Relações Exteriores da Síria disse à agência oficial de notícias SANA que o presidente turco transformou seu país em uma base para terroristas, que minam a segurança ea estabilidade na Síria e no Iraque e causam o sofrimento dos inocentes.
"É irônico que um tirano como Erdogan falasse sobre a democracia quando transformou a Turquia em uma grande prisão para todos os que se opõem à sua política", disse a fonte.
A Síria está atualmente lutando contra os "peões e proxies" de Erdogan, acrescentou o oficial, enfatizando ainda que a Síria não permitirá que Erdogan interfira em seus assuntos domésticos e cortará as mãos daqueles que tentam prejudicar o país.
Ele também pediu à comunidade internacional para pôr fim à interferência da Turquia nos assuntos de outros estados, dizendo que a política de Erdogan representa uma ameaça à paz regional e internacional.
A Turquia é acusada de permitir que os militantes usem seu território para viajar e embarcar armas para a Síria e comprar petróleo contrabandeado de militantes.
Em agosto, a Turquia lançou uma incursão para a Síria, alegando que se destinava a envolver tanto os terroristas Daesh como as forças curdas. Damasco condenou a intervenção militar da Turquia como uma violação de sua soberania.

Rússia, militantes da Síria se reúnem em Ancara: Fonte

Também na quarta-feira, uma fonte informada disse que representantes russos e militantes opostos ao presidente Assad realizaram conversações na capital turca, Ancara, sobre a possibilidade de um cessar-fogo em Aleppo.
"Diversas reuniões aconteceram em Ancara para discutir as formas de chegar a uma trégua desse tipo", disse a AFP citando uma fonte não identificada próxima aos militantes, acrescentando que a última reunião teve lugar na segunda-feira.
Acredita-se que os envolvidos nas negociações estejam ligados à Coalizão Nacional Anti-Damasco Síria e não incluam o grupo terrorista Jabhat Fateh al-Sham, anteriormente conhecido como Frente al-Nusra.


http://www.presstv.ir

Nenhum comentário:

Postar um comentário