13 de fevereiro de 2017

Ação militar turca em território sírio deve prosseguir

Erdogan diz que o objetivo final da operação turca na Síria é Raqqa



Turkish President Tayyip Erdogan reviews a guard of honour during a welcoming ceremony at the Presidential Palace in Ankara, Turkey, February 7, 2017. Picture taken February 7, 2017. Kayhan Ozer/Presidential Palace/Handout via REUTERS ATTENTION EDITORS - THIS PICTURE WAS PROVIDED BY A THIRD PARTY. FOR EDITORIAL USE ONLY. NO RESALES. NO ARCHIVE.

O presidente turco Tayyip Erdogan analisa uma guarda de honra durante uma cerimônia de boas-vindas no Palácio Presidencial em Ankara, Turquia, 7 de fevereiro de 2017. Foto tirada em 7 de fevereiro de 2017. Kayhan Ozer / Palácio Presidencial / Folheto via REUTERS EDITORES DE ATENÇÃO - ESTA FOTOGRAFIA FOI FORNECIDA POR UM TERCEIRO. PARA USO EDITORIAL SOMENTE. NENHUMAS RESENTAS. NENHUM ARQUIVO.

O presidente Tayyip Erdogan disse no domingo que o objetivo final de uma incursão turca na Síria não foi apenas retomar a cidade de al-Bab do Estado Islâmico, mas também limpar uma região fronteiriça, incluindo Raqqa dos jihadistas.
Os rebeldes sírios apoiados por turcos estão pressionando uma grande ofensiva contra al-Bab, a 30 quilômetros (20 milhas) ao sul da fronteira turca. O avanço os coloca em conflito direto com as forças do governo sírio que estão se aproximando da cidade a partir do sul.
"O objetivo final é limpar uma área de 5.000 quilômetros quadrados", disse Erdogan em entrevista coletiva antes de partir para uma visita oficial ao Bahrein, Arábia Saudita e Catar.
Ele disse que as forças turcas não tinham nenhuma intenção de ficar na Síria, uma vez que a área tinha sido desmarcada tanto do Estado islâmico quanto da milícia curda YPG, que a Turquia vê como uma força hostil.
O Observatório Sírio para os Direitos Humanos, um monitor britânico de guerra, disse que rebeldes apoiados por fortes ataques aéreos turcos lutaram contra o Estado islâmico norte e sudoeste de al-Bab no domingo.
As forças turcas avançaram para a cidade a partir do oeste nos últimos dias, e agora controlam cerca de 10 por cento da cidade e todos os seus subúrbios ocidentais, disse o Observatório.
As forças do governo sírio e as milícias aliadas também fizeram ganhos ao sul de al-Bab, perto da cidade de Tadef, desde sexta-feira, chegando a uma área de 1,5 km da cidade.
A Turquia acredita que os ataques recentes da IS na Turquia, incluindo um tiroteio em uma boate de Istambul que matou 39 pessoas, foram controlados por al-Bab e Raqqa, e considera que as cidades são uma prioridade de segurança nacional.
O porta-voz de Erdogan, Ibrahim Kalin, disse na semana passada que a Turquia havia apresentado um plano detalhado para expulsar o Estado Islâmico de Raqqa e que discussões de estratégia com o governo do presidente dos EUA, Donald Trump, estavam em andamento.
A Turquia disse repetidamente que quer fazer parte da operação liderada pelos EUA para retomar Raqqa, mas não quer que o YPG, apoiado por Washington, esteja envolvido.

(Reportagem de Humeyra Pamuk em Istambul e Ellen Francis em Beirute, escrita por Nick Tattersall, edição de Stephen Powell)

Nenhum comentário:

Postar um comentário