13 de abril de 2017

Putin contra novas revoluções pró-ocidentais


Putin promete prevenir "revoluções coloridas" para a Rússia e seus aliados euro-asiáticos


13 Abr, 2017 

Putin vows to prevent ‘color revolutions’ for Russia and its Eurasian alliesA Rússia não permitirá que forças externas desestabilizem sua política interna por meio de protestos e violência, e protegerá seus aliados dessa ameaça, disse o presidente Vladimir Putin em entrevista televisiva.

"Conhecemos várias teorias que estão sendo implementadas em várias partes do mundo e levam a uma grave instabilidade nessas regiões. É claro que não devemos permitir nada deste tipo e vamos por todos os meios tomar medidas adequadas na Rússia e apoiar os nossos parceiros na OTSC ", disse Putin ao canal de TV Mir.
A   Organização do Tratado de Segurança Coletiva  ou OTSC é um bloco militar (em russo: Организация Договора о Коллективной Безопасности) ou simplesmente Tratado de Tashkent (Ташкентский договор) que começou seu trabalho em 2002. Atualmente o CSTO une seis países ex-soviéticos - Armênia, Bielorrússia, Cazaquistão, Quirguistão, Tajiquistão e Rússia.
A mudança do regime político através de protestos de rua orquestrados, em vez de procedimentos democráticos legais, é conhecida como "revolução da cor", porque os organizadores dos primeiros eventos criaram nomes cativantes e visivelmente não violentos para eles, na Ucrânia.

Autoridades russas têm repetidamente chamado revoluções de cor como a principal ameaça à segurança internacional e equilíbrio de poder.

Putin já chamou as revoluções de cor a principal ferramenta usada pelas forças destrutivas na luta geopolítica.

"No mundo moderno, o extremismo é usado como uma ferramenta geopolítica para a redistribuição de esferas de interesse. Podemos ver as trágicas conseqüências da onda das chamadas revoluções de cor, o choque experimentado por pessoas nos países que passaram por experiências irresponsáveis ​​de interferência oculta, ou às vezes bruta e direta em suas vidas ", disse ele no final de 2015 .

Em meados de 2015, o Ministério da Defesa russo ordenou uma importante pesquisa sobre as revoluções de cor, afirmando seu objetivo como prevenção das situações enfrentadas pela Rússia em 1991 e 1993.

Também em 2015, o chefe do Conselho de Segurança da Rússia, Nikolay Patrushev, prometeu desenvolver um plano detalhado de ação com o objetivo de impedir as revoluções coloridas ou quaisquer outras tentativas de mudança vigorosa de autoridades legalmente eleitas através de protestos de rua. Disse que o conselho tinha preparado uma lista de medidas propostas que poderiam anular a possível ameaça, incluindo alguns passos contra "atividades de protesto em rede" e trabalho de propaganda contra o "estereótipo revolucionário romântico".


Nenhum comentário:

Postar um comentário